sábado, 8 de maio de 2010

Desabafo

Inglória batalha que trava a alma
Consigo mesma - calada suicida-se.
Caminha, fadada ao perpétuo das
Quimeras que cativa - em vil navalha.

Dissolve-se em certos pérfidos golpes,
A dureza do homem que vos fala;
Traem-lhe as químicas dialéticas
Das sinapses que o define: insano.

Teu encantamento é tua culatra
E por ela o tiro que vos mata!
Um olhar faiscante de serpente:
Esta é tua sorte! Envenenar-se
Da vicissitude que misterias.

Quanto deste mor veneno tu ousas?
Quantas são as quimeras que tu domas?
Tua beligerante desventura
Embriaga-se de breve ternura
Entrega-te aos bruxuleios da vida.

Um comentário:

barbara disse...

o poeta se trai;
fascina-se por seus encantamentos, e de tão fascinado se torna cativo.